terça-feira, 23 de agosto de 2011

Molho à Castelhana


Figado e sangue de uma lebre
1 c/s de azeite
1 c/s de vinagre
1 noz de manteiga
3 dentes de alho
sal q.b.
pimenta q.b.

Grelha-se o figado, esmagando-o depois juntamente com o alho e juntando o vinagre, pouco a pouco. Reduz-se tudo a pure e coloca-se num recipiente com a manteiga. Tempera-se com sal e pimenta. Junta-se o sangue da lebre, mexendo sempre para ligar bem. Finalmente, junta-se o azeite. Este molho acompanha pratos de lebre.

Receita cedida por Raquel Pardal

Molho à Crioula


1 c/s de molho de soja
1 dl de oleo de girassol
Sumo de 2 Limoes
1 dente de alho
1 c/s de raspa de limao
1 dente de alho esmagado
1 pitada de acucar
sal q.b
pimenta q. b

Juntam-se todos os ingredientes e misturam-se muito bem ate se obter uma pasta homogenea. Leva-se ao frigorifico durante algumas horas antes de se utilizar.
Este molho serve-se sobre galinha ou frango assado e leva-se ao forno ate acabar de secar.


Receita cedida por Raquel Pardal

Molho Florentina


1,5 dl de Maionese (Tradicicional)
3 c/s de iogurte (Natural)
sal q.b.
pimenta preta q.b.

Bate-se a maionese com o iogurte e tempera-se com sal e pimenta preta.
Este molho serve para temperar saladas.

Receita cedida por Raquel Pardal

Molho à Genovesa


2 c/s de Margarina
2 cebolas
150 g de cogumelos
1/2 c/s de salsa picada
sal q.b.
pimenta q.b.

Picam-se finamente as cebolas e levam-se a alourar na margarina. Juntam-se os cogumelos em Laminas e a salsa picada e tempera-se com sal e pimenta.
Deixa-se ferver durante cerca de 20 minutos, mexendo sempre.
Acompanha peixe cozido.


Receita cedida por Raquel Pardal

Molho Agridoce


4 rodelas de ananas 1 pimento verde em tiras 1/2 chavena de vinagre 1/4 de chaneva de acucar
1 chavena de agua
1 c/s de melaco
1 tomate em quartos
2 c/s de farinha maisena
Oleo
Leva-se ao lume um pouco de oleo, e junta-se o ananas em pedacos, o pimento, o vinagre, 3/4 da agua, o acucar e o melaco. Mexe-se ate ferver e junta-se o tomate. Dilui-se a maisena na agua restante e junta-se ao molho para engrossar. Acompanha pedacos de carne de porco passados por polme e fritos. (Porco doce na cozinha chinesa)
Receita cedida por Raquel Pardal

Bolo Económico


Açúcar: 100 gr
Farinha: 250 gr
Manteiga: 100 gr
Ovo: 4
Leite: 4 colheres de sopa
Limão: 1 colher de chá

Mistura-se o açúcar com a farinha, o leite, a manteiga derretida, as gemas de ovo e o sumo de limão. Bate-se bem e incorporam-se as claras em castelo.
Coloca-se a massa numa forma untada e leva-se ao forno a cozer.

Receita cedida por Suzana Mota

Brisas do Liz

6 ovos inteiros
6 gemas
125 g de amêndoas
450 g de açúcar

Pelam-se e ralam-se as amêndoas. Batem-se os ovos inteiros com as gemas e o açúcar até se obter um preparado fofo e esbranquiçado. Adicionam-se as amêndoas e continua-se a bater até se obter uma mistura homogénea. Em forminhas redondas muito bem untadas deita-se o preparado, que vai a cozer em bem-maria no forno moderadamente quente. Quando mornas, desenformam-se e metem-se em caixinhas de papel frisado.

Receita cedida pelo
Chef Paulo Santos

Broas da Avozinha

1 kg de farinha de trigo 250 g de farinha de milho branco (joeirada)
meia colher, das de café, de erva doce
uma colher, das de chá, de canela em pó

200g de nozes (moidas e em bocados)

250 g de amêndoa (pelada, pisada e em bocados pequenos)

500 g de mel de abelha
500 g de açúcar mascavado (de cana)

meio litro de azeite muito fino






Põe-se ao lume o azeite com o mel, o açúcar e em estando quase a ferver juntam-se: as nozes, a amêndoa, a canela e a erva doce.
À parte num alguidar põem-se as farinhas a que se juntam dois decilitros de água morna com um grama de sal derretido, juntando a seguir os outros produtos que se ferveram, e que devem estar fervendo mexendo-se e amassando-se, até estar a massa em condições de fazerem broas redondas, que devem ser um pouco altas, porque não levantam, indo ao forno a cozer em tabuleiros untados de azeite, podendo ficar mais ou menos tostados conforme se desejar; há quem goste delas torradas, ou só um pouco tostadas.
Depois de prontas envolvem-se com açúcar refinado.

Receita do Chef Paulo Santos

Caracois de Azeite

500 g de farinha de trigo
250 g de açúcar
1 dl de leite
1 dl de azeite
1 colher de sopa de manteiga
1 colher de café de fermento em pó
1 pitada de canela
casca de limão

Leva-se o azeite ao lume, com uma casca de limão e, quando estiver quente, junta-se-lhe a manteiga para derreter. Deixa-se arrefecer um pouco. Depois de se juntar a farinha, o açúcar, o fermento e a canela, adiciona-se o azeite e amassa-se tudo, trabalhando bem a massa.
Formam-se uns biscoitos, com o feitio de caracóis, e levam-se ao forno previamente aquecido em tabuleiro a cozerem. Não é necessário, untar nem polvilhar o tabuleiro.

Receita do Chef Paulo Santos

Pernil Tropical


4 fatias médias de abacaxi fresco
16 escalopinhos de carne de pernil de leitão
2 colheres de sopa de óleo de soja e em quantidade para fritar
2 dentes de alho amassados
¼ de xícara de cebola ralada
1 colher de café de pimenta do reino
2 ovos batidos
Farinha de trigo para empanar
1 xícara de farinha de rosca
2 colheres de sopa de castanha de caju moída
½ xícara de água
2 colheres de chá de shoyo
1 colher de café de vinagre de uva
1 colher de café de amido de milho

Tempere os escalopes de pernil com alho, cebola, pimenta do reino e sal.
Em uma frigideira leve-os para dourar em 2 colheres de sopa de óleo dos dois lados, mexendo sempre para tomar cor. Reserve os escalopinhos.
Com o resíduo que se formou da fritura faça um molho junte ½ xícara de água, shoyo, vinagre e engrosse com o amido de milho.
Passe as fatias de abacaxi pela farinha de trigo depois no ovo e em seguida na mistura de farinha de rosca e castanha de caju moída, leve para fritar em óleo de soja.
Sirva os escalopinhos com o abacaxi em fatias largas empanado e frito e cortado em 4 partes e regue com o molho pode acompanhar fatias de manga em saladinha de folhas verdes.
Enfeite com phisalis, pedaços de cereja, galinhos de alecrim e castanhas de caju inteiras.

Receita do Chef Paulo Santos

Bacalhau no Forno com Pimentos e Coentros


4 postas de bacalhau demolhado
3 dentes de alho
3 cebolas
1/2 pimento verde
1/2 pimento vermelho
2 dl de azeite
1,5 dl de vinho branco
1 colher de sopa de coentros picados

Disponha as postas de bacalhau, num tabuleiro de preferência de barro.
Esmague os alhos, descasque e corte as cebolas em gomos, corte os pimentos em tiras.
Espalhe estes ingredientes sobre o bacalhau.
Regue com o azeite e com o vinho branco.

Leve a assar no forno a (180ºC), durante cerca de 35 minutos.

Assim que o bacalhau estiver assado, retire-o do forno e sirva-o polvilhado com os coentros picados
Receita cedida pelo Chef Paulo Santos

Sopa à Cultivador


300 grs. de couve branca
200 grs. de cenouras
2 alhos franceses
200 grs. de batatas
100 grs. de ervilhas
300 grs. de carne de vaca
100 grs. de presunto
100 grs. de massa fina
1/2 galinha
1 molhinho de hortelã

Cozem-se as carnes em 2 litros de água.
Quando aquelas se mostrarem cozidas, retiram-se e passa-se o caldo por um coador.
Nessa altura, têm-se já os legumes todos cortados em cubos, que logo se deitam no caldo, para cozerem.
Cortam-se as carnes em cubos iguais aos legumes e, quando estes estiverem quase cozidos, acrescenta-se a massa fina.
Estando tudo cozido juntam-se as carnes cortadas como se disse e serve-se a sopa, aromatizada com folhas de hortelã.

Receita cedida pelo Chef Paulo Santos

Choquinhos ao Alhinho


1 Kg. de choquinhos pequeninos
1 cabeça de alho média
2 Dl. de azeite aprox.
2 Dl. de vinho branco
1 ramo de coentros
2 folhas de louro
Sal q.b.
Pimenta Q.B.

Colocam-se os dentes de alho esmagados numa frigideira grande ou caçarola com tampa, o louro, o azeite e os choquinhos inteiros depois de amanhados e escorridos; depois cozem assim em lume brando durante 20 Min. aprox.; depois junta-se-lhe o sal, a pimenta e o vinho branco, ferve mais uns 10 min. aprox.; por fim põe-se os coentros picados e desliga-se o fogo. Acompanha-se com batata cozida e o molho depois de prontos deve ser suficiente para temperar.

Receita do Chef Paulo Santos

Bacalhau à Zé do Telhado


2 postas de bacalhau
1 cebola
1 tomate
1 pimento
200 gr camarão descascado
3 colheres polpa de tomate
1/2 copo de vinho branco
azeite, sal e vinagre
azeitonas pretas
batata frita à rodela

Fritam-se as postas de bacalhau em azeite, de modo a ficar dourado.
Retira-se o bacalhau e deita-se no azeite a cebola, o tomate e o pimento, todos cortados em rodelas muito finas.
Deixa-se cozinhar um pouco e adiciona-se a polpa de tomate, o vinho. o sal e o vinagre ( a gosto ).
Por último, acrescenta-se o camarão e tapa-se até todos os legumes estarem macios.
Deita-se por cima do bacalhau, enfeita-se com azeitonas pretas e acompanha-se com batata frita às rodelas

Receita cedida pelo Chef Paulo Santos Receita do Restaurante Zé do Telhado - Peso da Régua

Sopa de Agriões com Pão Frito em Azeite


400 gr de batatas
1 dl de azeite
1,5 Litro de água
1 Cebola
1 DENTE DE ALHO
1 Molho de agriões
Sal
100gr de pão aos cubos e frito em azeite.
Confecção:

Levar ao lume uma panela com a água, azeite, as batatas, a cebola e o sal.
Deixar cozer em lume brando, todos os ingredientes. Tritura-se tudo com a varinha mágica até obter um creme macio. Leva-se novamente ao lume com as folhas dos agriões lavadas. Quando estas estiverem cozidas, está pronta.

Sirva bem quente, com os cubos de pão fritos.
Receita cedida pelo Chef Paulo Santos

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Molho 'Hollandaise'



Especialmente indicado para vegetais e ovos.

4 gemas
2 colh sopa de sumo de limão
1/2 cháv manteiga sem sal
Pitada pimenta 'cayenne'
Sal

Com vigor, bater as gemas com o sumo de limão até se obter uma mistura espessa e o dobro em volume, numa tigela de inox. Colocar a tigela em banho maria ao lume e ir adicionando a manteiga aos poucos batendo sempre até se conseguir o dobro do volume outra vez. Se ficar demasiado espesso, pode adicionar um pouco de água.

Temperar com o sal e a pimenta e deixar arrefecer tapado em sítio quente, ou seja, não colocar em mesa fria, pois pode coalhar.


Molho Béchamel


  • 1 colher de sopa de manteiga ou margarina;
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo;
  • 3 dl de leite;
  • sal;
  • pimenta;
  • noz-moscada.
Derreta a manteiga ou margarina sobre lume brando e polvilhe com a farinha. Deixe cozer sem deixar ganhar cor e até aparecer à superfície uma espuma esbranquiçada e o preparado desagregar-se.
Regue de uma só vez com o leite frio e mexa com a vara de arames ou a colher de pau até a dissolução completa da mistura de farinha e gordura no leite.
Tempere com sal, pimenta e noz-moscada e deixe cozer sobre lume brando durante cerca de 10 minutos.
  • 1 colher de sopa de manteiga ou margarina;
  • 1 colher de sopa de farinha de trigo;
  • 3 dl de leite;
  • sal;
  • pimenta;
  • noz-moscada.
Derreta a manteiga ou margarina sobre lume brando e polvilhe com a farinha. Deixe cozer sem deixar ganhar cor e até aparecer à superfície uma espuma esbranquiçada e o preparado desagregar-se.
Regue de uma só vez com o leite frio e mexa com a vara de arames ou a colher de pau até a dissolução completa da mistura de farinha e gordura no leite.
Tempere com sal, pimenta e noz-moscada e deixe cozer sobre lume brando durante cerca de 10 minutos.

Para um simples molho branco, eliminar a manteiga.

Bolinhos de Batata


oBS:-Usar boa batata para cozer

VERSÃO SALGADA:

Cozem-se as batatas com a pele em água e sal. Depois de cozidas,escorrem-se, pelam-se e esmagam-se.

Para cada quilo desta massa de batata juntar:
4 colheres de sopa de leite,
2 de manteiga,
8 gemas
4 colheres de sopa de farinha de trigo,
salsa picadinha,
pimenta e rectifica-se o sal.

Amassa-se tudo muito bem
Fazem-se bolinhos que se fritam.
Servem-se quentes a acompanhar pratos de carne com molho.

VERSÃO DOCE:
À massa de batata,acrescentam-se 2 colheres de sopa de açúcar. Não se põe nem salsa nem pimenta nem tanto sal como na outra versão.
Servem-se quentes à mesma, mas com compotas a gosto

Regina Cardoso

Como se preparam as castanhas para assar?



- Molham-se (não tem que ser, mas ajuda a que o sal agarre).
- Dá-se um golpe em cada uma (retalhar).
- Põe-se sal.
- Põem-se dentro do fogareiro (ou num tabuleiro no forno, ou no calor de uma fogueira).



'As q estalam, são as mentiras do assador' eheheheh...

óptimo o 'Tico Tico'...


...para um divinal Arroz de Tamboril com Gambas :) segundo a nossa Raquel Pardal

na Av Rio de Janeiro, esquina com a Av. da Igreja em Alvalade, Lisboa

... e no Guincho come-se assim :))


O 'Robalo ao Pão' do Restaurante Porto Sta. Maria :) uma delícia diferente

Restaurante Arcoense


O proprietário e alma da casa, Joaquim Rebelo Barroso, natural de Vieira do Minho e em tempos emigrante nos EUA, comprou o snack-bar que aqui havia por volta de 1988, transformou-o em restaurante e deu-lhe a feição atual à roda de 1997. À frente da cozinha, mas sob sua orientação, está a cunhada Zulmira, na sala uma das filhas e o genro (Fernando Neves) distribuem competência e simpatia.

A lista de comidas é farta, forte e sedutora: 16 entradas, 14 pratos de peixe (pescada, polvo, goraz, rodovalho, robalo, cherne, lavagante e bacalhau) e 18 de carne. Há três pratos do dia, a preços mais baixos. Convém saber-se que Joaquim Barroso cria porco bísaro e galináceos naturais, e de bovino só gasta vitela barrosã.

Rua Eng. José Justino Amorim, 96
Braga
Tel. 253 278 952
(Fecha aos domingos)

Sugestão de José Luis Oliveira

Bolo de Tâmaras


250grs de Amêndoa (pelada e moída)
250grs de Tâmaras (falhadinhas)
6 Claras
6 Colheres (sopa) de açúcar
2 Colheres (sopa) de farinha

Bate-se as claras em castelo, junta-se o açúcar e bate-se até fazer suspiro. Á parte já tem a amêndoa as tâmaras e a farinha tudo misturado que se junta ao suspiro.


Divide a massa em 4 partes iguais,(+ ou -) e leva ao forno em formas iguais (sem buraco).
Depois de de frias, põe a 1ª bolacha coberta com chantily, seguida de outra com ovos moles, a 3ª com chantily, a ultima com ovos moles, decorar a gosto com chantily (tb pode decorar com fios de ovos), e enfeite com tâmaras caramelizadas....

BOM APETITE......

PS... eu forro as formas com papel vegetal, bem untadas com margarina.

Qualquer dúvida deixe aqui mensagem.....

Bjs DINA SISTELO

Bolo de Queijo Fresco


Pisar/esmagar com um garfo 450gr de queijo fresco.
Juntar-lhe 250gr de manteiga, 6 ovos e a quantidade de farinha necessária para fazer uma massa não muito consistente. Depois de tudo estar bem amassado,embrulhar num pano húmido,durante uma hora. Passado esse tempo vai a cozer em forno aquecido e em forma de bolo barrada com manteiga e polvilhada com farinha.

Pode servir-se simples, polvilhado com açúcar ou com geleias à escolha....

por Regina Cardoso

Massa Tenra

350gr. de farinha com fermento
2 colheres (sopa) de banha(Eu uso +/- 125gr de manteiga quando não tenho banha em casa)
1 colher(sopa) de azeite
200ml de água morna(eu uso leite meio gordo aquecido. Não muito quente para não cozer a farinha)
sal
Farinha para polvilhar(as mãos,bancada de pedra onde se vai trabalhar a massa e para a travessa onde se vão pondo os pastéis prontos para irem fritar ou assar no forno) Eu uso uma tigela na 1ª fase,(mas há quem faça directamente na bancada.)

Deitar para a tigela a farinha +sal+ as gorduras.Misturar e ir amassando até obter uma massa maleável e homogénea.Sempre usando as mãos. Aos poucos deita-se a água/leite enquanto se amassa. Passa-se,então para a bancada que se polvilha com farinha (as vezes necessárias) e trabalha-se a massa. Fazer uma bola e deixar repousar(2horas),coberta com pano. Depois ,ir tirando pedaços que se estendem com a ajuda de um rolo(quando não se tem,uma garrafa de vidro liso e grosso, lavada e polvilhada,serve) Pode ficar fina ou grossinha conforme o recheio (muito mole ,uma massa fina rompe-se e o recheio sai....). Coloca-se o recheio num dos lados e sobrepõe-se o outro para tapar o recheio; aconchega-se junto deste e pressiona-se a restante massa para aderir devidamente. Corta-se com carretilha ou faca. dando-se a forma que se entender. Vão-se pondo os pastéis numa travessa polvilhada com farinha até ser hora de os fritar,assar no forno ou até os guardar para congelar.

Receita de Regina Cardoso

domingo, 14 de agosto de 2011

Os Pirulitos


quem não se lembra??

A Maria Odete traz-nos belas recordações de infância


Rolo de Castanhas


1 kg de castanhas (bem cozinhas, escorridas,sem cascas nem peles)
150gr de açúcar amarelo

150gr de manteiga

0,5l de leite

125 ml de água
1 colher de sopa, rasa, de canela

I tablete pequena de chocolate ou 50 gramas de chocolate em pó

2 pacotes de bolacha Maria (partidas aos bocados, quase defeitas)

Cerejas crist,
"marron glacè"
Passas de uva....frutos secos, pepitas de chcolate. o que tiver à mão para enfeitar,se assim o desejar.

Cozer as castanhas.... Num tacho, leve ao lume o leite+açúcar+ castanhas. Depois de levantar fervura deixar ferver durante 5 m. Retirar do lume e juntar a manteiga aos pedacinhos+canela+ bolachas. Envolver tudo muito bem. Enrolar em papel alumínio, moldando a massa em forma de rolo (também pode forrar uma forma tipo bolo inglês com papel alumínio e deitar para lá a massa aconchegando-a bem) Colocar durante umas horas no frigorífico. Na hora de servir derreter o chocolate referido com 1 colh sobremesa bem cheia, de manteiga, em banho-maria. Entretanto, tirar a Massa do papel metalizado (ou da forma), colocar numa torteira e cobrir com o chocolate derretido. Enfeitar como entender.....

Receita cedida por Regina Cardoso

37 sítios onde comer bom Marisco





Aqui vão eles:

37 grandes sítios para comer marisco
A NORTE

AVEIRO

A Praia do Tubarão
Dentro da Costa Nova encontrase um restaurante com ambiente agradável e boa cozinha regional, à base dos peixes e mariscos do mar e da ria. M.G.S.
Av. Marginal José Estêvão, 136, Costa Nova do Prado, Gafanha da Encarnação, Ílhavo
T. 234 369 602
Encerra Seg


ESPOSENDE

Camelo da Apúlia
Em Esposende pode deliciar-se com o camarão da costa, a santola recheada, a sapateira à Margarida da Praça e outros mariscos de cativante frescura. M.G.S.
R. do Facho, Lt. 14, Lj. 3, Apúlia, Esposende
T. 253 987 600
Não encerra


FIGUEIRA DA FOZ

Forte de Santa Catarina
O prato mais emblemático é o rodízio de marisco. Cada pessoa pode servir-se à discrição de mariscos de várias espécies e de frescura irrepreensível, cozidos na hora; a composição do prato é variável, de acordo com o que o mar dá, mas quase sempre inclui camarão da costa, gambas do Algarve, sapateira e percebes; têm de ser duas ou mais pessoas, pagando cada uma €18,50 pelo prato (s/ bebida). M.G.S.
Av. 25 de Abril, Tennis Club, Figueira da Foz
T. 233 428 530
Encerra Ter


MATOSINHOS

Casa de Chá da Boa Nova
Na praia de Leça da Palmeira, entre rochedos, sobre o mar, encontra-se uma das obras mais emblemáticas do arquitecto Siza Vieira. Tem viveiros próprios de marisco, onde há sempre santolas, sapateiras, lagostas e lavagantes para cozinhar ao momento, que é a melhor maneira de aproveitar a sua riqueza de sabores. Também nunca faltam amêijoas legítimas e gambas, quase sempre servidas como entrada, umas à Bulhão Pato, outras com alhinho. M.G.S.
R. da Boa Nova, Leça da Palmeira
T. 22 995 1785
Encerra Dom

O Degrau do Castelo
Bons mariscos da costa: amêijoas à Bulhão Pato, camarão da costa cozido ao momento, santola e sapateira aberta, mas não recheada, lavagante ao natural ou em salada. Mariscos vivos, que também chegam do Algarve. M.G.S.
Lg. do Castelo, 3, Leça da Palmeira
T. 22 995 2299/3831, 93 995 2299
Encerra Seg

Rincão do Mar
Os mariscos não aparecem no expositor, porque passam directamente do viveiro para a cozinha, excepto os congelados tradicionais como, por exemplo, o camarão-tigre. Na frescura, são insuperáveis. M.G.S.
Av. Serpa Pinto, 204-208, Matosinhos
T. 22 938 5639/40
Encerra Seg

Toupeirinho
Pequena, mas bem recheada, a sala exibe um expositor repleto de peixe e marisco. Amêijoas à Bulhão Pato, salada de lavagante, sapateira desfiada e servida num pratinho com o recheio dentro da casca, percebes ou "percebas", como se diz por lá, cozidos na hora e servidos quentinhos, camarão da costa. M.G.S.
R. do Godinho, 27, Matosinhos
T. 22 938 7016
Encerra Dom

PORTO

Churrascão do Mar
Nas entradas camarão (à paulista, na frigideira, no "espetinho", em cocktail, tropical, com abacate), amêijoas à Bulhão Pato e ostras ao natural, tudo muito apetecível; nos mariscos: parrilhada, que é excelente, tal como a lagosta à Thermidor, mas também há lavagante, camarão-tigre e camarão gigante na brasa. M.G.S.
R. João Grave, 134, Porto
T. 22 606 8458
Encerra Dom


VILA NOVA DE GAIA

Casa Branca
Num restaurante de praia não podiam faltar peixes e mariscos frescos que chegam diariamente das lotas de Matosinhos e da Póvoa para serem cozidos, grelhados ou assados. M.G.S.
R. da Bélgica, 86, Praia de Lavadores, Vila Nova de Gaia
T. 22 772 7400
Encerra Seg

AO CENTRO

CASCAIS

Beira Mar
À entrada, dá gosto ver o aquário de mariscos, oriundos de viveiros próprios. Vale a pena saborear as amêijoas à Bulhão Pato, a sapateira recheada, as gambas al'ajillo, a santola, os mexilhões à portuguesa (com molho de tomate, cebola, pimento) ou à marinheira (com natas, cebola, alho francês) e outros mariscos geralmente servidos como entrada. M.G.S.
R. das Flores, 6, Cascais
T. 21 482 7380
Encerra Ter

Eduardo das Conquilhas
Tem uma fama tão grande quanto a fila de espera que existe para comer as famosas conquilhas e muitos outros mariscos. Apesar da demora, o resultado final (re)compensa. A fazer as delícias de todos os apreciadores de mariscos e bons petiscos desde 1965. S.C.
R. Capitão Leitão, Lt. 8, Parede
T. 21 457 3303
Encerra Qua

Monte Mar
Sob as rochas, em tanques de água salgada, à boca do mar, tem viveiros próprios com bruxas, lagostins, lagosta, lavagantes e sapateiras. Estes e outros mariscos que não carecem de viveiro, como os percebes, as gambas da costa, os carabineiros, as ostras e as amêijoas são propostas de entradas irrecusáveis. As gambas da costa ainda quentes da cozedura com sal grosso e maionese; as amêijoas legítimas, grandes e frescas, à Bulhão Pato, à espanhola, à marinheira (em molho de natas com alho francês) e ao natural; as saladas de lagosta e de lavagante; a lagosta grelhada, à .ermidor ou suada com o arroz rosado, a casquinha de sapateira recheada, os carabineiros com alhinho na frigideira. M.G.S.
Estr. do Guincho, Oitavos, Cascais
T. 21 486 9270
Encerra Seg

Porto de Santa Maria
Na montra ou na canastra que vai à mesa com amêijoas, gambas, lagostins, santolas, lagostas, lavagantes. Mariscos ao natural e em arroz (só gambas e lagosta e/ou lavagante) ou açorda (de gambas ou de lagosta). M.G.S.
Estr. do Guincho, Cascais
T. 21 487 0240/9450.
Encerra Seg


ERICEIRA

Mar à Vista
Está encostada à praia dos Pescadores, no centro da Ericeira, quase sobre o mar. O motivo de atracção é o marisco, razão pela qual, mal nos sentamos à mesa, aparece um pratinho com percebes e camarão da costa. Outras opções a ter em conta: amêijoas, canilhas, lagostas, lavagantes, santolas, sapateiras, ostras, às vezes navalheiras e outros frutos do mar, quase sempre para cozer e servir ao natural ou, em alternativa, para grelhar, como se faz com o camarão-tigre de Moçambique, que é o único congelado. M.G.S.
R. de Santo António, 16, Ericeira
T. 261 862 928
Encerra Qua

Marisqueira de Ribamar
Na "curva do moinho", como é conhecida por todos os comensais da região, a relação qualidade/ /preço é a grande mais-valia desta casa mais afastada do circuito mediático das marisqueiras da Ericeira. Comece com amêijoas à Bulhão Pato, sapateira recheada ou camarão e prossiga com uma mariscada composta por vários produtos do mar. Também há marisco ao peso. S.C.
EN 247, Santo Isidoro, Ribamar, Ericeira
T. 261 862 441
Encerra Qua jantar; Qui

Terra Mar
Com viveiros próprios, o restaurante garante qualidade e frescura em todas as especialidades servidas: gambas (cozidas, panadas, al ajillo), sapateira recheada; sopa rica do mar; mariscada; arrozes e cataplanas. S.C.
EN 247, Ribamar, Ericeira
T. 261 865 924
Não encerra


LISBOA

Mercado do Peixe
Uma casa grande no Alto da Ajuda, em Monsanto. Em seu redor, um grande parque de estacionamento com guarda, o desafogo da mata, o horizonte aberto. No interior, duas salas amplas com uma banca de pescado e um grelhador ao centro. Os clientes dirigem-se à banca, a fim de fazerem as suas escolhas: entre os mariscos há sempre amêijoas, carabineiros, camarão-tigre, lagosta, lavagante, às vezes lagostins, percebes e outros. M.G.S.
Estr. Pedro Teixeira, Vila Simão, Caramão da Ajuda, Lisboa
T. 21 361 6070
Encerra Dom jantar

O Pinóquio
Está num recanto da Praça dos Restauradores. Gambas da costa cozidas com sal ou amêijoas na cafeteira abertas ao vapor (amêijoas boas do Algarve, frescas, carnudas, passadas por azeite, alho, coentros com um leve toque de mostarda, a lembrar Bulhão Pato), como entrada; mas não faltam outras opções interessantes, de que são exemplo, nos mariscos: percebes, canilhas, lagosta, lavagante e camarão-tigre. M.G.S.
Pç. dos Restauradores, 79-80, Lisboa
T. 21 346 5106
Não encerra

Ramiro
Na montra vêem-se mariscos frescos e muito apetecíveis. No interior, onde as mesas se alinham de forma a aproveitar ao máximo o espaço disponível, estão mais dois mostruários que prendem o olhar ao colorido das lagostas, lavagantes, lagostins, gambas (tigre, do Algarve, etc.), carabineiros, camarões (de Espinho), santolas, sapateiras, navalheiras, búzios, canilhas, percebes, ostras e muito mais. A cozinha sabe tirar partido da categoria dos mariscos, levando-os a cozer ou a grelhar no ponto certo. M.G.S.
Av. Almirante Reis, 1 G-H, Lisboa
T. 21 885 1024
Encerra Seg

Sete Mares
Está normalmente cheio. À entrada vê-se uma bancada com peixe e, dentro, tem um aquário com mariscos. Para entrada, o camarão de Espinho, as gambas da costa (são as brancas) ao sal, as amêijoas à Bulhão Pato, há canilhas, percebes e lagostins vivos para cozer ao momento, entre outras boas propostas. M.G.S.
Av. Columbano Bordalo Pinheiro, 108 A, Lisboa
T. 21 727 2385
Encerra Dom

Tico-Tico
Além dos afamados croquetes e bifes que todos adoram, muitos são os clientes que ali vão só pelo marisco fresco. Da montra de mariscos diversos pode escolherse sapateiras, santolas, amêijoas, camarões. E para quem for buscar para comer em casa pode contar com a oferta de um saquinho de tremoços. S.C.
Av. Rio de Janeiro, 19 D, Lisboa
T. 21 849 1495
Encerra Qui


OEIRAS

Relento
O viveiro e o expositor de mariscos, colocados à entrada e diante do balcão sendo este destinado apenas ao serviço para fora, dão o mote para uma refeição que, em regra, começa com amêijoas à Bulhão Pato, conquilhas, camarão de Tróia ou de Espinho e percebes. São os mariscos preferidos dos clientes, notando-se a relação entre qualidade e preço de cada produto, por exemplo no camarão de Tróia e de Espinho ou nos percebes grandes das Berlengas e Vila do Bispo ou dos vulgares do Cabo da Roca e da costa. M.G.S.
Av. dos Combatentes da Grande Guerra, 10 C, Algés
T. 21 411 4063
Encerra Qua


PENICHE

Estelas
Sala com aquário de mariscos. Para escolher: amêijoas à pescador, em versão parecida com a receita à Bulhão Pato, grilos (a que noutros lugares chamam bruxas ou santiaguinhos), lagostas, lavagantes, navalheiras e santolas da costa. Se aprecia lagosta, deve saber que se faz com ela a mais famosa receita desta região: lagosta suada à moda de Peniche. M.G.S.
R. Arq. Paulino Montez, 19, Peniche
T. 262 782 435, 96 503 0770
Encerra Qua


SINTRA

Adraga
O dado essencial da cozinha é a qualidade dos produtos, em especial os mariscos e os peixes, "às vezes acabadinhos de pescar e ainda a saltar". Bons mexilhões, mas só quando o mar permite a sua apanha. E não faltam outros mariscos, irrepreensíveis na sua frescura e bondade: amêijoas (à Bulhão Pato e à D. Suzete, estas com camarão, também muito boas), canilhas, percebes, santolas, sapateiras, lagostas, lavagantes, etc. M.G.S.
Praia da Adraga, Almoçageme, Colares
T. 21 928 0028
Não encerra

Piscinas das Azenhas do Mar
Boa cozinha à base dos produtos do mar. Há sempre mariscos apetecíveis, como as amêijoas, os percebes, a gamba nacional, as bruxas, a sapateira recheada, a lagosta da costa e o lavagante, visíveis no viveiro. M.G.S.
Azenhas do Mar, Sintra
T. 21 928 0739
Não encerra


A SUL
ALJUSTREL

Cervejaria O Cabecinha
Fica no centro da vila de Aljustrel esta casa bem conhecida por terras alentejanas, parcas em locais de qualidade para comer marisco. O expositor de grandes dimensões exibe os diversos mariscos como as navalheiras, o camarão, a lagosta, o lavagante, os percebes ou as santolas, tudo fresco e bem confeccionado. S.L.F.
Av. Antero Quental, 22, Aljustrel
T. 284 601 517
Encerra Dom


ALMADA

Amarra ó Tejo
O jardim do velho castelo de Almada, sobranceiro ao Tejo, oferece um panorama espectacular de Lisboa. Da ementa, salientam-se as amêijoas ao natural ou à Bulhão Pato, percebes, gambas cozidas ou al ajillo e camarão-tigre. M.G.S.
Jardim do Castelo, Almada
T. 21 273 0621
Encerra Seg; Ter almoço


ALMOGRAVE

Café Restaurante O Josué
Casa familiar no litoral alentejano, a meio caminho entre Vila Nova de Milfontes e o Cabo Sardão, é ponto de paragem obrigatória. Da ementa variada em carne, peixe, petiscos e marisco fresco vale a pena saborear percebes, navalheiras, santolas, amêijoas, sapateira, lavagante e lagosta. S.C.
R. José António Gonçalves, 87, Longueira, Almograve
T. 283 647 119
Encerra Ter (excepto Jul-Set)


CACELA VELHA

Casa de Pasto
É neste carismático lugar com vista para a ria Formosa que se comem as famosas ostras do Algarve. Casa simples, com bancos e mesas corridos, onde o cliente põe a mesa. Para comer: amêijoas, gambas e camarão fritos. Atenção ao horário, só funciona das 16 e 30 às 22 horas. S.C.
Lg. da Igreja, Cacela Velha
T. 281 952 126
Não encerra


ÉVORA

Cervejaria Jaime
Está afastada do centro da cidade, no bairro da Malagueira, mas vale a visita. Nesta casa simples de atendimento simpático o marisco é bom e a preços acessíveis. Amêijoas, sapateiras, berbigão e outros mariscos conforme a "faina". S.L.F.
R. dos Trabalhadores, Évora
T. 266 733 980
Encerra Qui


SESIMBRA

Bar do Peixe
Fica mesmo no areal e merece a distinção de "um dos melhores restaurantes de praia do País". Para comer: lapas grelhadas na chapa, percebes, amêijoas à Bulhão Pato, camarão de Sesimbra, gambas, mexilhão à espanhola. S.C.
Praia do Moinho de Baixo, Aldeia do Meco
T. 21 268 4732
Encerra Ter (excepto Jul-Ago)

Celmar
Há quem aprecie tanto os petiscos que faz deles a refeição: camarão da costa, lapas, mexilhões, amêijoas, santola, casco de sapateira. M.G.S.
R. Central do Meco, 3, Aldeia do Meco
T. 21 268 3704
Encerra Seg

Domingos
É uma espécie de ex-líbris do Meco. Há décadas que o senhor Domingos e família estão atrás do balcão a cozinhar petiscos para os veraneantes, apenas aos fins-de-semana e feriados. Talvez por isso precisem de ajuda. Ali, são os clientes a pôr a mesa e a levantarem-se para ir buscar as travessas. Se ouvir um grito "Mexilhões, quem pediu?" não se assuste, é assim que a coisa funciona. E bem, a avaliar pelas muitas pessoas que se deliciam com as iguarias ali servidas. L.O.
R. Comércio 26/26 A, Aldeia do Meco
T. 21 268 3511
Encerra Seg-Sex

O Pinhal
De certeza que vai encontrar amêijoas, camarões e mexilhões. Nos dias de mais sorte, ainda pode apanhar canivetes, conquilhas, lapas. A confecção há-de ficar ao gosto do cliente. Prove também as saladinhas, com destaque para a de búzios. L.O.
Estr. da Fonte, 21, Aldeia do Meco
T. 21 268 3720
Encerra Qui


SILVES

Marisqueira Rui
Casa simples com muitos lugares, conhecida pelo bom e diversificado marisco. Do aquário às montras, as opções são várias: sapateiras, santolas, lagostas, percebes, amêijoas, ostras, entre outros tantos mariscos. Nos pratos confeccionados o arroz de marisco é uma excelente opção. S.L.F.
R. Comendador Vilarinho, Silves
T. 282 442 682
Encerra Ter


VILA DO BISPO

Café Correia
Casa com muita tradição no barlavento algarvio. É em Vila do Bispo que se comem os melhores percebes apanhados na Costa Vicentina, cozidos na hora, chegando à mesa ainda a fumegar. Santola, sapateira, camarão na frigideira ou camarão guisado são outras opções. S.C.
R. 1.º de Maio, 4, Vila do Bispo
T. 282 639 127
Encerra Sáb


ZAMBUJEIRA DO MAR

Azenha do Mar
É dos restaurantes mais concorridos da zona e faz, inteiramente, jus à fama que tem. Esqueça a decoração, o mais importante é mesmo a comida. O marisco, entenda-se. Ao natural ou cozinhado, mas sempre fresco. As sapateiras têm muita saída, assim como o arroz de marisco que dá para quase uma família. Os preços são imbatíveis e não fazem reservas. S.R.
Praia da Azenha do Mar, Brejão, Zambujeira do Mar
T. 282 947 297
Encerra Qua


Aconselha-nos a Rosa Aires

em clix.visão.pt



Depois de ter pago a conta,o cliente dirige-se para o bengaleiro para levar seu chapéu.
Havia apenas um pendurado e não era o seu.
Indignado,chama o empregado :
-Que diabo é isto?
Este chapéu não é o meu!
Quem foi o burro que o levou?
Resposta do empregado:
-Não sei,meu senhor.
Quem o levou tem a cabeça igual à sua.

A Regina Cardoso contou-nos esta anedota :DDDD

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Oferta do Zé Luis Oliveira pelos meus anos :)


Salmão perfumado com Espargos


  • Salmão: 4 postas
  • Espargo verde: 300 g
  • Cuscuz: 0/5 kg
  • Azeite: q.b.

Começa-se por grelhar as postas de salmão com o sumo e a raspa de uma lima. Num recipiente à parte, coze-se em água (temperada com sal) os espargos e deixa-se ferver. Coze-se o cuscuz e, depois de escoa-se a água. Vai a um recipiente onde se verte a água que resultou da cozedura dos espargos. Emprata-se tudo e decora-se com os espargos cozidos. Tempera-se com um fio de azeite, ou acompanha com molho 'hollandaise'.

Receita cedida por Topogigio Gigio

Queijo Feta com Chillies


  • Chillies de cores diferentes: 2 + 2 (vermelho e verde)
  • Cebolinhos: 1 Molhinho
  • Queijo feta (barra): 200 g
  • Coentros frescos: 1 Molhinho
  • Tomilho-limão fresco: 1 Raminho
  • Azeite: 1 Fio generoso
  • Pão fresco de boa qualidade, para servir:

Numa tábua corte os chillies ao meio, retirando as sementes. Lave-os muito bem com água fria, assim como os cebolinhos. Retire os tal os e raízes aos cebolinhos e corte às rodelinhas bem finas, apenas a parte branca. Corte os chillies às tiras o mais finas possíveis e depois aos cubinhos.

Coloque tudo numa frigideira e refogue com o fio de azeite. Adicione-lhe as folhas dos coentros muito bem picadas assim como o tomilho limão. Envolva os sabores por uns instantes, e no centro coloque a barra de queijo feta.

Deixe cozinhar por dois ou três minutos, apenas para o queijo tomar o gosto do molho, mas sem derreter. Corte bocados de queijo, cubra com o molho e sirva com um pedaço de pão.

Receita cedida por Topogigio Gigio

Os meus bolos de aniversário :)






Os mimos da Regina Cardoso e da Sandra Costa

Tarte de Pêra e Frangipane


3 pêras rocha
1 cháv de amêndoas torradas
2 ovos
6 colh. sopa manteiga
1/2 cháv açucar
1/4 cháv farinha
1 colh. chá de extracto natural de baunilha
Massa quebrada q.b.

Cozer a massa quebrada numa forma de tarte já forrada com a mesma, em forno de 350º.
Num triturador, tipo 1,2,3, moer as amêndoas com 1/4 cháv do açúcar. Depois adicionar a farinha e moer novamente até estar uma mistura mto fina.

Numa batedeira, misturar a manteiga com o restante açúcar e bater bem. Vai-se misturando um ovo de cada vez sem parar de bater. Depois os ingredientes líquidos, e por fim a mistura das amêndoas moídas. Espalha-se tudo sobre a massa depois de cozida.

Descascam-se e cortam-se as pêras arranjando-as na mistura conforme a imagem.

Levar ao forno entre 30 a 40 minutos ou até estar com aspecto corado. Pincelar a tarte com doce de pêssego e desenformar. Deixar arrefecer e servir.


Camarões no espeto com Abacate


  • Camarões: 24
  • Alho: 1 dente
  • Pimenta de Cayenne em pó: 3 pitadas
  • Peras abacate: 3
  • Molho de soja: 2,5 cl
  • Coentros frescos: 1 ramo
  • Tomate confitado fresco: 100 g
  • Azeite para o espeto: 2,5 dl
  • Sal: q.b.
  • Pimenta: q.b.

Utilize Camarões Crus Inteiros corpo descascado que devem ser cozidos antecipadamente. Retire a cabeça e mantenha a cauda para a apresentação. Marinar 2 h no azeite, com o molho de soja, a pimenta cayenne, o alho e os conetros frescos cortados, bem como os quartos de tomate confeitados. Coloque no espeto os camarões alternando com os tomates e pedaços de pera abacate descascados. Aquecer na frigideira sem gordura durante 3 minutos e servir imediatamente.

Receita cedida por Topogigio Gigio

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Sobre o nosso Favaios :)



Agradecemos à Regina Cardoso esta preciosa informação

Amêijoas na Cataplana


  • Vinho branco seco: 1 dl
  • Presunto: 60 g
  • Chouriço: 100 g
  • Cebolas: 150 g
  • alho: 2 dentes
  • Tomates frescos: 300 g
  • Azeite: 5 cl
  • Amêijoas: 1,5 kg
  • folha de louro: 1
  • Sal, pimenta e salsa q.b.

Lave bem as amêijoas em água fria. Cubra-as com água salgada, ou, na falta desta, utilize água e sal, algumas horas antes da sua confecção. Descasque a cebola e pique grosseiramente. Descasque, também, o alho e pique bem fino. Leve um tacho ao lume com o azeite. Junte o alho, a cebola e a folha de louro. Adicione o ramo de salsa. Deixe refogar. Junte o vinho branco e deixe reduzir (apurar). Entretanto, corte o presunto em pedaços pequenos e ponha a demolhar em água fria. Corte, também, o chouriço em meias luas. Retire os pés aos tomates, escalde estes em água a ferver e limpe de peles e sementes. Corte-os em dados pequenos e ponha-os no tacho. Junte igualmente o presunto e o chouriço. Deixe estufar tudo durante 5 a 10 minutos. Retire o ramo de salsa e a folha de louro. Tire as amêijoas da água salgada e lave novamente em água fria. Leve uma cataplana ao lume e ponha uma camada do conteúdo do tacho. Sobre esta camada coloque as amêijoas e cubra com o restante conteúdo do tacho. Tape a cataplana e leve a lume não muito forte. Quando passarem 5 minutos volte a cataplana e deixe ao lume mais 10 a 12 minutos para que as amêijoas abram.

Receita cedida por Topogigio Gigio

Garoupa Recheada (Minho)



2kg de garoupa limpa (temperar com sal e pimenta)
100gr de azeitonas pretas sem caroço e picadinhas
2 dentes de alho sem casca e picadinhos
2 cebolas sem casca e picadinhas (metade para o refogado e a outra parte para cobrir a garoupa antes de ir ao forno)
1/2 copo de água
1 copo de vinho branco seco
2 cacetes (demolhados em água e depois escorridos)
2 ovos(gema+clara,batidas)
2 tomates sem peles nem sementes
2 colheres de sopa de azeite (refogado) + um bom fio de azeite para regar a garoupa antes de ir ao forno
2 colheres de sopa de vinagre
Pimenta e salsa - qb.

Fazer um refogado com o alho+azeite+cebola
Juntar o pão devidamente preparado, como indicado em cima, +salsa+azeitonas +tomate+sal+vinagre
Misturar tudo muito bem e juntar os ovos e mexer.
Com a garoupa devidamente preparada e temperada, rechear com a mistura, acabada de fazer.
Colocar a garoupa (coberta com alho,salsa e cebola, tudo picadinho e regar com a água,vinho e azeite) em tabuleiro (de ir ao forno e à mesa) bem besuntado (pode usar margarina, manteiga ou azeite) e levar ao forno previamente aquecido
(+/- 30 minutos)

OBS: há quem use presunto e ou chouriço no recheio.

Receita cedida por Regina Cardoso

Filetes de Bacalhau (Minho)

500 gr bacalhau
limão
pão ralado
farinha
2 ovos
azeite
2 cebolas
100 gr de toucinho
2 cenouras
2 dl de caldo de carne
2 colheres (sopa) de vinho do Porto
1 ramo de salsa
3 gemas de ovos
1 dl vinho branco
Pimenta qb

Corta-se em quadrados pequenos o bacalhau demolhado (sem pele e espinhas) e tempera-se com sumo de limão e pimenta. Deixa-se assim durante 30 minutos. A seguir passam-se os bocados de bacalhau por farinha, ovos batidos e pão ralado. Frita-se em azeite.

Depois leve azeite ao lume com as cebolas picadas, o toucinho cortado em quadradinhos e as cenouras raladas. Regue com vinho branco e deixe refogar. A seguir adicione o caldo de carne, vinho do Porto, sumo de limão e salsa picada e ligue com as gemas. Regue os filetes na hora de servir e acompanhe com uma boa salada.

Receita cedida por Guilhermina Rodrigues